Polícia Civil deflagra ‘Operação Sementes de Ouro’ e cumpre mandados por tráfico de drogas em Salgado e Aracaju

O Departamento de Narcóticos da Polícia Civil (Denarc) deflagrou na manhã desta sexta-feira, 26, nos municípios de Salgado e Aracaju, a ‘Operação Sementes de Ouro’ e cumpriu quatro mandados de prisão preventiva e sete de busca e apreensão e realizou uma prisão em flagrante. A ação, que teve o apoio do Grupamento Tático Aéreo (GTA), desarticula uma organização criminosa voltada para o tráfico de drogas atuante no estado de Sergipe, em especial na região metropolitana de Aracaju e Salgado.

Em uma das buscas, numa chácara na área rural de Salgado, as equipes policiais encontraram uma vasta plantação de maconha, com milhares de plantas da droga. No local, também havia uma grande estrutura de laboratório e estufa, com câmeras dispostas em toda a área onde o entorpecente foi plantado.

“Além das prisões, foi lavrado um auto de prisão em flagrante pelo crime de tráfico de drogas e foi apreendida uma grande quantidade de cogumelos alucinógenos, que não é tão comum realizar esse tipo de apreensão. Foi apreendido também o valor total de R$ 180 mil, que será depositado na Justiça, além de diversos aparelhos celulares, automóvel. A gente está ainda fazendo um apurado, a operação ainda não acabou, a gente tem algumas diligências em andamento”, citou o delegado Rafael Kaupfer, do Denarc.

As investigações tiveram início, há aproximadamente seis meses, quando o Departamento de Narcóticos recebeu informações sobre as práticas delituosas de tráfico de drogas e organização criminosa por parte de alguns membros de uma associação sem fins lucrativos, que recebeu autorização para cultivar maconha. Na oportunidade, foi instaurado inquérito policial para apurar os fatos.
“Inicialmente, tinha a autorização judicial para funcionar, com a finalidade exclusiva de produção para fins medicinais. Então, foi a partir da facilidade desse manuseio, que se abriu essa brecha para que fosse cometido o tráfico de drogas”, falou Rafael Kaupfer.

Segundo o Denarc, a associação em si não é objeto das investigações, mas os seus associados, que, percebendo a lucratividade e a facilidade no acesso às plantas produzidas, começaram a comercializar maconha livremente. O cumprimento dos mandados conta com o apoio do Canil da Guarda Municipal de Aracaju.

Ainda de acordo com o Departamento, as investigações mostraram que membros da referida associação, principalmente aqueles que ocupam cargos com poder de gestão e decisão, como o presidente, engenheiro agrônomo, gerente de cultivo e conselheiro fiscal, aproveitaram a facilidade de acesso e a falta de fiscalização para desviar as plantas produzidas e comercializá-las ilegalmente pelo estado, chegando a cobrar o valor de R$ 30 mil por quilo de droga.

O inquérito policial apurou também que o presidente da associação propôs aos funcionários que o pagamento das prestações devidas fosse realizado em sementes de Cannabis ou até mesmo na planta in natura. A Polícia Civil teve acesso ainda a áudios do presidente da associação, que comprovam o momento em que ele confirma o comércio ilegal de sementes da maconha.

Alguns dos investigados já haviam sido presos e condenados anteriormente justamente pelo crime de tráfico de drogas, comprovando uma tendência à prática dessa modalidade criminosa.

Com base em informações judiciais, concluiu-se ainda, que, desde o segundo semestre de 2023, a associação atuava de modo ilegal. “Eles conseguiram uma decisão através de uma liminar, autorizando a produção, porém, em agosto do ano passado, ocorreu agravo da União, que foi provido, então, atualmente eles estavam atuando de maneira ilegal, essa produção não estava legalizada”, concluiu Kaupfer.

Diante de todos os elementos de informações levantados, foram representadas, junto ao Poder Judiciário, pelas medidas cautelares, e, após decisão favorável, cumpridos nesta sexta-feira os mandados. As investigações continuarão no sentido de identificar outras pessoas envolvidas.

Segundo o delegado Ataíde Alves, diretor do Denarc, houve um desvio claro da finalidade da autorização para o cultivo da Cannabis. Ao invés de ser usado exclusivamente para fins medicinais, o plantio também era utilizado com o objetivo de ser comercializado, gerando lucros para os envolvidos.

O Denarc comunicará ao Poder Judiciário ainda hoje sobre o resultado da Operação. Apenas após decisão judicial, a Polícia Civil decidirá o destino da plantação e da droga encontradas durante a busca.

A Operação ‘Sementes de Ouro’ também contou com o apoio da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core), Delegacia de Campo do Brito, Delegacia Regional de Tobias Barreto e Guarda Municipal de Aracaju.

Fonte:SSP/SE

Publicidade!

Ueslei

Inove Academia

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here