Vigilância Sanitária faz apreensão recorde com produtos e substâncias de limpeza com procedência desconhecida em Sergipe

A Secretaria de Estado da Saúde, por meio da Vigilância Sanitária, apreendeu no município de Riachuelo, um caminhão contendo nove tipos de produtos saneantes clandestinos. O material recolhido além de ser prejudicial para a população não é aprovado e nem reconhecido pela Gerência de Cosméticos e Saneantes.

A operação apreendeu 300 litros de detergente, 306 litros de desinfetantes, 382 litros de sabão líquido, 73 vasos de 500 ml de limpa alumínio, 20 litros de desengraxante, 41 litros de amaciante e 286 litros de água sanitária. Também foram recolhidas substâncias perigosas como 24 litros de ácido muriático e 23 litros de cloro em gel.

A gerente farmacêutica da Vigilância Sanitária, Amanda Mendonça, alertou para os perigos à saúde que esse tipo de produto pode causar. “São produtos produzidos no fundo do quintal ou em garagem. Isso é perigoso pois não se sabe que tipo de matéria prima foi utilizada na composição dessas mercadorias que são vendidas sem rotulagem e em embalagens inadequadas”, disse.

Por causa da falta de rótulo nos produtos não há a informação da composição, ou seja, não se sabe o nível de toxicidade desses materiais. “Há tempos a vigilância está tentando apreender esses produtos. Eles geralmente são comercializados em feiras e barracas, e na maioria das vezes o consumidor não sabe que o produto pode ser prejudicial para própria saúde”, revelou a gerente.

De acordo com a agente fiscal, Ana Paula Maciel, a ação em flagrante foi realizada em conjunto com a Secretária Municipal de Saúde de Riachuelo. Ele explicou ainda que devido a falta de informação e nível de toxidade desconhecido sobre esses produtos apreendidos, não se pode fazer o reaproveito do material. “O destino dessas substâncias será o descarte seguro realizado pela Vigilância Sanitária Estadual em aterro sanitário credenciado”, revelou. Fonte:SES

Publicidade!

Ueslei

Inove Academia

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here